Imprimir esta página

Que no próximo ano, este dia não seja mais dedicado a você

Caríssimos ouvintes,

 

Hoje é o dia do "ENFERMO". Para as pessoas que estão com a saúde em perfeito estado, o dia não tem o menor valor, é igual aos outros, só se sente o valor da coisa, quando se está inserido nela. Mas, a grande maioria das pessoas, já foi um dia enfermo, e isso já é tudo para não esquecermos dos nossos irmãozinhos que ora encontram-se neste estado. Geralmente durante as enfermidades é que sentimos o carinho das outras pessoas para conosco. Certa vez um médico chegou a escrever em seu livro: A enfermidade do corpo é o ponto de partida para a cura dos males da alma. Indo mais além na sequência de páginas deste mesmo livro, o referido médico dizia que ficava impressionado com o tratamento de um paciente para com o outro, ou até mesmo de uma pessoa sã, para com uma enferma. 

Parece que a enfermidade retira das pessoas todos os males da alma ou da própria personalidade. E finalizando o médico disse a seu auxiliar: "Vejam como eles se amam". Na realidade, quando entramos em uma casa de saúde, entra-se em outro clima, forma-se uma família provisória, para uns por muito tempo, para outros por um tempo mais delongado. E você que está nos leitos dos hospitais, com graves ou leves enfermidades, recebe o nosso abraço, a nossa palavra de incentivo, e saiba que em muitos casos a doença do corpo é muito importante para a alma. Creia você, caro amigo enfermo, que estamos cá fora torcendo pelo seu pronto restabelecimento e queremos também que neste mesmo dia, 14 de janeiro do ano que vem, não seja mais dedicado a você. Nunca tenha a doença como um castigo de Deus sobre você, mas como uma dádiva para que muitas coisas possam ser modificadas no seu dia-a-dia.

 

Celso Leite em 14 de janeiro de 1985

Lido 884 vezes