Aniversário da nossa amada Bragança

Caríssimos ouvintes...

É necessário que todo bragantino saiba um pouco de sua história, e também que a data da descoberta de Bragança foi muito contestada. Segundo a ENCICLOPÉDIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS DE 1952, os franceses foram os primeiros europeus que, em exploração marítima, investigaram a costa paraense, entre o Rio Gurupi e a Cidade de Belém. No território do Município de Bragança, entretanto, não figura fundação alguma que lhe dê menção especial. Por outro lado, a Nomeclatura dos municípios do Pará diz o seguinte: "FORAM OS FRANCESES DA EXPEDIÇÃO LAVARDIÉRE AO AMAZONAS OS PRIMEIROS HOMENS BRANCOSA PENEIRAREM A 08 DE JULHO DE 1603 NA REGIÃO DO RIO CAETÉ. Pedro Teixeira também passou pelo local em 1616, quando se dirigia para o Maranhão, para levar a Gerônimo Albuquerque a notícia enviada por Castelo Branco da fundação de Belém.

Pergunta-se agora: Qual a História Verdadeira? Para dizer a verdade, a segunda tem mais sentido pois consta de documentos antiquíssimos da história paraense. Nossa história inicia-se com Álvaro de Sousa, filho de Gaspar de Sousa, filho do Governador Geral do Brasil que era donatário das Capitanias do Gurupi e Caeté. Procurando desenvolver a Capitania, instalou a sede na margem direita do Rio Caeté sob a denominação de "SOUSA DO CAETÉ". Mas a sua capitania não prosperou mas a história apagou os fatos que contribuíram para a sua extinção hoje a nossa conhecida "VILA CUÉRA" cujo o nome significa "CIDADE QUE FOI".

Atribui-se que a derrota da Companhia do Caeté deu-se pelo advento da nova casa reinante em Portugal que inclusive contribuiu para o nome do Município de Bragança. Ao visitar a extinta capitania, o Governador do Grão Pará Francisco Xavier de Mendonça Furtado encontrou seis pobres palhoças e resolveu transferir o povoado de Bragança  para o lado esquerdo do Rio Caeté, ato esse aprovado pelo Rei de Portugal. Os primeiros povoadores de nossa Bragança foram os índios Tupinambás-Caetés, os franceses da expedição La-Revardiére e os ilhéus açorianos portugueses. O hoje bairro da Aldeia, era na época o acampamento dos índios, cujo tucháua, de nome Camutá, morava na volta que o Rio Caeté dá em direção a Vila Cuéra. E temos razão de defender a tese de que o Pará foi descoberto em Bragança a 08 de julho de 1613 e que festejamos juntos com a Capital do Maranhão, São Luís, um meio de único trecho territorial do Pará que foi descoberto e habitado por gente ariana e culta, como foi a expedição de Daniel de la Touche, senhor de La REVARDIÉRE. Portanto, nós bragantinos, hoje dia 08 de julho podemos festejar a data histórica do descobrimento do Pará em Bragança, única zona paraense a ser habitada por gente culta nesse recuado tempo.

 

Celso Leite em 08 de julho de 1986

Lido 92 vezes

Acompanhe @f_educadora no Instagram

A Fundação

A Fundação Educadora de Comunicação é constituída por duas rádios, a Educadora AM (1390) e FM (106,7), uma emissora de TV (canal 30) e um site. Tem por objetivo promover para o povo bragantino uma programação que enaltece a educação, cultura, esporte e evangelização. São 58 anos evoluindo e inovando. (+)

 

Boletim

Deixe seu e-mail para ser avisado em primeira mão sobre novas notícias: