Imprimir esta página

Dia do ex combatente

1

Caríssimos ouvintes...

 

Comemoramos no dia de hoje, o dia do ex combatente. Homens destemidos e que ainda são lembrados pelas suas bravuras durante a campanha da Força expedicionária brasileira na Itália por ocasião da segunda guerra mundial. Já, naquela época as crônicas de guerra registram como as mais cruentes lutas que a nossa infantaria enfrentou. Os próprios nazistas chamaram mais tarde os nossos pracinhas de loucos suicidas - porque sem o apoio da aviação e com uma artilharia impotente diante da superioridade Alemã, os soldados brasileiros provavam, à custa de 235 vidas perdidas, sua bravura em combate. Sempre é lembrada autoridades da FEB, que a coragem encontrada foi o resultado do domínio do nosso medo e trauma pela morte dos companheiros. 

Só acabamos tomando Monte Castello motivados pelo desejo das vinganças das perdas sofridas nos dois ataques anteriores. Em alguma ocasião, os brasileiros, chegaram a ser até atacados pelos próprios aliados americanos, porque usavam uniformes verdes, a mesma cor dos uniformes dos alemães. Somente depois os americanos deram aos brasileiros outros uniformes. Outra vantagem dos brasileiros a sua baixa estatura que contrastava com a dos alemães que eram alvos fáceis. Na tomada de Monte Castello os únicos obstáculos eram as casamatas Alemães que matavam a queima roupa o que causou estado de choque a tropa dos pracinhas que não sabiam onde os alemães estavam posicionados. 

Somente a vingança é que refez este estado de espírito e partimos para a vitória, caminhando sobre os cadáveres dos nossos próprios companheiros no topo de Monte Castello. Após segunda investida, novo fracasso e a moral abatida. Com as condições desfavoráveis, nossos representantes partiram para o terceiro Round e consequentemente a vitória. Nossos pracinhas souberam superar o episódio de medo com garra e coragem. Uma batalha das mais árduas, sob condições não propícias e sem qualquer ajuda, demonstrando a vontade de vencer e a conduta magnífica de nossos pracinhas na segunda guerra mundial.

 

Celso Leite em 07 de junho de 1985

Lido 775 vezes